Equoterapia

equoterapiaDe acordo com a Associação Nacional de Equoterapia – ANDE-BRASIL, “é um método terapêutico, educacional e
esportivo que utiliza os movimentos tridimensionais do cavalo como uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação.”

É um trabalho realizado em equipe, a qual deve ser altamente especializada, requer além dos conhecimentos particulares de cada profissão, alto grau de conhecimento deste instrumento terapêutico – o cavalo – e familiaridade com o mesmo, para se obter bons resultados.
A Equoterapia se divide em 4 áreas:

1. Hipoterapia
Este programa caracteriza-se pela incapacidade fisica e/ou mental do praticante em se manter sozinho sobre o cavalo. É necessário um terapeuta montado juntamente com o este dando-lhe segurança ou, como em alguns casos, acompanhando-o a pé ao seu lado, dando-lhe apoio no montar.
Nesta fase o programa é essencialmente da área de reabilitação. O cavalo é usado principalmente como instrumento cinesioterapêutico.

2. Educação / Reeducação
Aqui o praticante já apresenta condições de se manter sozinho sobre o cavalo, onde já consegue interagir com o animal. Por tal motivo, depende menos do terapeuta que não mais monta junto, somente o acompanha lateralmente.

O cavalo continua propiciando beneficios pelo seu movimento tridimensional e multidirecional e o praticante passa a interagir com mais intensidade. Os exercícios realizados neste momento são tanto na área reabilitativa com da área educativa, tanto motora como mental.

3. Pré-Esportiva
Neste programa o praticante tem boas condições para atuar e conduzir o cavalo sozinho, podendo participar de exercícios específicos de hipismo. Ele passa a exercer maior influência sobre o animal, que é utillizado como instrumento de inserção social.

4. Espotiva
Neste programa o praticante é preparado para as Para-Olimpíadas.

O que é praticante

É o termo utilizado para designar a pessoa com deficiência ou com necessidades especiais quando em atividades equoterápicas. Nesta atividade, o sujeito do processo participa de sua reabilitação, na medida em que interage com o cavalo.

Para quem é indicado

Disfunção Neuronal (Encefalopatia Crônica da Infância)
Déficits Sensoriais
Atraso Maturativo
Síndromes Neurológicas ( Down, West, Rett, Soto e outras)
Acidente Vascular Cerebral
Traumatismo Crânio-Encefälico
Seqüelas de Processo Infamatório do SNC (Meningoencefalite e Encefalite)
Lesão Raqui- Medular entre outros
Autismo
Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade
Deficiência Mental
Alterações de Comportamento

Contra-indicações

Convulção não controlada

Luxacao de Quadril

Escoleose Avançada